Maria Padilha Quitéria: Histórias, Quem é, Pontos Cantados, Oração, Caminhos, Características, Imagem, Frases e as Três Marias

Maria Padilha Quitéria: Histórias, Quem é, Pontos Cantados, Oração, Caminhos, Características, Imagem, Frases e as Três Marias

Apesar de muitas pessoas pesquisarem por e acreditarem que existe uma Maria Padilha Quitéria, Maria Padilha e Maria Quitéria são duas entidades diferentes.

Ambas são pombas giras, mas suas histórias são completamente diferentes, não devendo haver confusão, como um próprio ponto cantado dela diz:

(…) Eu sou Maria, mas não vão se confundir por aí, porque eu sou Maria, Maria Quitéria (…)

A confusão entre as entidades Maria Padilha e Maria Quitéria, provavelmente se dê, porque a pomba gira Maria Quitéria é uma das mais conhecidas no reino umbandista, assim como Maria Padilha.

A Pomba Gira Maria Quitéria é uma entidade de religiões afro-brasileiras, uma grandiosa entidade da linha de esquerda, muito atuante dentro da nossa querida umbanda, tão famosa e tão temida.

Comanda uma grande falange de espíritos, tendo como parceira a Dona Maria Navalha. Muitos dizem que é a irmã mais velha de Maria Mulambo e de Maria Padilha.

História de Maria Quitéria (A Mais Contada)

A história dessa pomba gira maravilhosa teve inicio na cidade de Lisboa, em Portugal, em meados do século 19, quando nascia uma bela menina de olhos negros e penetrantes na casa de uma família economicamente abastada.

Seu nascimento fora uma festa para a família, pois sua mãe, uma jovem portuguesa, após alguns anos de matrimônio com um militar brasileiro, não conseguia realizar um grande sonho, que era de ter um filho de seu amado.

Após as esperanças se findarem, veio a grande surpresa, uma gravidez, que foi a grande felicidade de todos.

E então chegou o tão esperado dia, o nascimento de uma criança que já era tão amada e guardada. O primeiro choro emocionou a todos, a jovem portuguesa, em lagrimas abraça o esposo e mostra a bela menina de pele não muito clara.

Uma pequena princesa, que teve como nome a tradicional Maria, para seguir a tradição familiar, e o composto de Quitéria, pois a mãe da menina era muito devota e extremamente agradecida a Santa Quitéria.

Sete anos se passaram, a menina Maria Quitéria era muito esperta e falante, e assim criava muitas amizades com todos da região.

Nessa época, o Rei de Portugal estipulou uma lei na qual eram tomadas a coroa e terras que, mesmo produtivas, viraram propriedades do poder, deixando os trabalhadores rurais sem ter onde morar e o que comer, e assim foi nascendo grandes revoluções e invasões em torno da região.

Em uma dessas invasões, alguns malfeitores se entraram em meio dos trabalhadores rurais e, assim, aproveitando a confusão, assaltavam as casas das pessoas que residiam na cidade, e faziam isso com extrema covardia, chegando a assassinar moradores inocentes.

E uma dessas casas foi a da pequena Maria Quitéria que, ao ver a invasão na casa de seus pais, ficou desesperada, pois os assassinos já tinham alcançado os mesmos.

Uma serviçal da residência, ao notar o acontecido, pegou a menina pela mão e saiu escondida pela parte de trás da casa, indo se esconder por entre as árvores que ficavam em um pomar.

Ficaram ali por horas escondidas, enquanto dentro da residência os malfeitores roubavam tudo, agrediam os pais de Maria Quitéria e os serviçais.

Diante de uma fúria incontrolável, esses larápios atacaram a todos que ali estavam com punhais pontiagudos, assassinando a todos e sem o menor arrependimento.

Os sanguinários atearam fogo por toda a casa, queimando os corpos, até mesmo os que ainda não tinham desencarnado, sobre os olhos mareados de lágrimas da pequena Maria Quitéria que observava tudo.

Os assassinos saíram apressadamente e sem olhar para trás deixaram aquela grande dor no coração da menina.

Sem ter aonde ir, a serviçal levou a menina a um acampamento de Ciganos, implorando ajuda e explicando o que havia acontecido.

Pedia ela que os Ciganos tomassem conta da pequena criança, pois não tinha condições de ficar com a menina.

O Povo Cigano tinha na alma a caridade extrema, e acolheram a menina como se fosse uma deles. E ali ficou dez anos, viajando de cidade a cidade em Portugal como uma verdadeira nômade, até que, por questões do Rei, começaram perseguições implacáveis sobre os Povos Ciganos, fazendo assim com que o grupo no qual se encontrava Maria Quitéria partisse para o Brasil.

E foi assim que Maria Quitéria veio para o Brasil, já uma jovem, linda, guerreira, sabendo as magias ciganas, caridosa e extremamente forte.

O tempo foi se passando e de cidade em cidade, agora no Brasil. Maria foi tendo novas experiências, até que um belo dia o chefe do Clã Cigano na qual ela fazia parte decidiu retornar a Portugal, porém a jovem estava decidida a ficar, e assim houve a despedida dela daquele tão generoso Povo Cigano que a acolheu com tanto carinho e dedicação.

Ela então se tornou uma nômade solitária, como uma andarilha, buscava lugares para pernoitar, e assim foi conhecendo muitas pessoas e tendo novas experiências.

Entre essas pessoas, ela passou por meio de grandes fazendeiros, de prostituas, de malandros, pessoas do bem e do mal, e a todas ela buscava demonstrar palavras de auxilio, de luz, de caridade.

Auxiliou diversas pessoas com o que aprendera com os Ciganos, trouxe paz aos desesperados, comida aos famintos, água aos sedentos, luz aos que se encontravam na escuridão.

Por viver nas ruas, ela aprendeu a se defender e defender seus semelhantes, e tinha nessa colocação a sua dádiva de vida.

E, em um fato assim, Maria Quitéria teve seu desencarne já com seus trinta anos, pois em uma das suas andanças pelas noites e sem destino, encontrou uma jovem prostitua desesperada a correr e chorando muito, vendo esse fato, logo se pôs a tentar ajuda-la.

A jovem esclarece que está sendo perseguida por covardes homens na qual ela não aceitou ceder a proposta que lhe fizeram, e com a negativa eles decidiram mata-la.

E, nesse momento, chefa a frente delas um homem forte e com olhar covarde, gritando que ela deveria o acompanhar, e a jovem em negativa se esconde atrás de Maria Quitéria, que toma a frente da situação, tirando de sua saia um punhal afiado.

O homem avançava sobre as duas e, nesse momento, Maria Quitéria o ataca acertando o punhal na barriga, fazendo um grande e profundo corte.

Ele cai, e as duas correm pela escuridão. Nesse momento, chega até o homem os outros que também estavam perseguindo a jovem prostituta e, ao vê-lo ao chão ferido e desacordado, ficam sem entender o acontecido.

Acreditando que o homem ferido estava morto, um dos perseguidores se joga de joelhos ao chão e, em um grito de desespero e dor, grita a frase: “Meu irmão, quem fez isso com você?”.

Nesse momento, Maria Quitéria vê o desespero do rapaz e diz à jovem para fugir, pois ela iria retornar para auxiliar o ferido e assim acalmar o coração de seu irmão.

E assim foi feito, ela retornou e, chegando junto ao homem ferido e seu irmão, ela diz:

“Meu rapaz, tome esse frasco com essa poção Cigana, dê um bom gole a boca de seu irmão e depois jogue o restante no ferimento”.

O rapaz, seguindo as orientações da mulher, fez o que deveria fazer, enquanto ela sumia na escuridão, sem ser notada, pois todos estavam apáticos ao verem a reação do homem e da ferida que fechava e cicatrizava na frente dos olhos de todos.

Veja:  Frases de Maria Padilha, Frases de Filhos de Maria Padilha e Mensagens de Maria Padilha

E, assim se passaram sete dias, o homem que antes ferido já andava normalmente pelas vielas da cidade e andava não a esmo, pois em seus olhos brilhavam o sentimento de vingança.

Em certo ponto de uma viela escura, ele vê Maria Quitéria dormindo ao relento e, se aproximando como uma serpente, decide se vingar estocando um punhal no coração da mulher que dormia indefesa.

E, assim, Maria Quitéria desencarna, e em seu redor e diante dos olhos assustados do assassino, espíritos obsessores tentavam levar o espírito de Quitéria para a escuridão, pois viam nela uma grande força.

Porém, diante desse fato, foram surgindo espíritos de luz, uma legião de sete Exus, que vieram resgatar Maria e levarem ela para o lugar das divindades de luz, para que pudesse, com a benção de Oxalá, se tornar uma entidade de Luz lutadora em prol da caridade e guerreira contra a escuridão da maldade.

Os Exus pegaram Maria Quitéria pela mão, dando-lhe o caminho a seguir, e ela sorridente se foi armando um lindo caminho de luz brilhante.

Sem quase acreditar, o assassino se põe de joelhos, sem perceber que os espíritos sem luz que antes tentavam desviar o caminho do espírito de Maria Quitéria, colocavam-se em volta dele, sugando suas energias até o ponto de seu desencarne, e assim o levaram para o reino da escuridão, como mais um escravo.

Hoje, Maria Quitéria trabalha nos terreiros de Umbanda, sua linha é a das pombas giras, e ela tem um jeito muito peculiar de falar, parecendo um tanto radical e bastante brava, assim como demonstrava nas ruas e vielas que vivia, não como demonstração de prepotência, mas sim pela sobrevivência.

Quem é Maria Quitéria?

A pomba gira Maria Quitéria é uma das mais conhecidas na Umbanda e atua na mesma legião da pomba gira Maria Padilha, sendo normal um(a) médium bem preparado(a) em seu desenvolvimento mediúnico ter Maria Padilha na coroa bem como a bela senhora Maria Quitéria.

Dona Maria Quitéria é uma entidade muito forte e, sendo assim, ela comanda uma enorme falange de mulheres, entre tantas se destaca Maria Navalha, que é sua subordinada direta.

Maria Quitéria, em terreiros bem firmes, sem mistificação e com médium preparado, é acompanhada por sete Exus que formam uma legião de trabalho e proteção onde Dona Maria Quitéria for e estiver.

Dona Maria Quitéria é muito fina e elegante, adora tomar champagne, fumar suas cigarrilhas, seus perfumes e rosas.

No entanto, apesar de já termos todas essas informações sobre, quando falamos de Dona Maria Quitéria, a pomba gira, mesmo dentro da Umbanda, ainda paira um pouco e mistério na cabeça de muita gente.

Como visto acima através da história de Dona Maria Quitéria, ela foi uma jovem inocente que começou a ser fugitiva e acabou por se tornar em uma das Entidades de Luz mais poderosas e conhecidas de todas.

Entretanto, a pomba gira Dona Maria Quitéria se difere mais pelo seu tom de pele escura e extremamente encantadora.

Maria Quitéria gostava, e muito, de cantar, de dançar e de se mexer ao ritmo das músicas ciganas. Outra característica marcante da pomba gira Dona Maria Quitéria era sua força interior, extremamente forte.

E como se esperava, Dona Maria Quitéria não gosta de injustiças, odeia ver maldade nos olhos das pessoas e detesta assistir a sofrimentos, por isso ela faz de tudo para acabar com tudo isso e para trazer um pouco de felicidade para a vida de quem realmente esteja necessitado.

Para invocar a pomba gira Maria Quitéria há duas formas: a primeira delas é realizar uma oração poderosa para alguma finalidade, tal com a que é apresentada abaixo e, a segunda é através de um ritual realizado por um médium experiente.

Nesses trabalhos, você faz seus pedidos e, se a pomba gira Dona Maria Maria Quitéria ver que você está mesmo precisando, se o que deseja é bom para você, ela vai lhe ajudar.

A oferenda para a pomba gira Maria Quitéria, geralmente, leva rosas (em número ímpar), champanhe, licor de anis, velas, jóias ou bijuterias, espelho, cigarros de filtro longo, cigarrilha, perfumes finos, lenços e lindas toalhas vermelhas.

Se o caso for mais sério, o pedido poderá ser diferente, mas, no geral, esses são os itens mais solicitados por Dona Maria Quitéria.

A pomba gira Dona Maria Quitéria é uma entidade muito forte e poderosa que você deve respeitar muito, pois ela sempre virá em ajuda a quem possa estar necessitando, sempre com muita atenção aos seus filhos que à invocam para os objetivos corretos.

A pomba gira Dona Maria Quitéria é conhecida por seu forte poder de sedução, podendo ajudar em casos amorosos, e também podendo ser ótimas companheiras e amigas espirituais de grande valor.

Pontos Cantados de Maria Quitéria

Eu tenho um nome tão lindo

Mas eu só uso em tempo de guerra (2x)

Querem saber o meu nome?

Eu sou a Maria Quitéria (2x)

Maria tem tantas por aí

Toma cuidado que é pra não te confundir (2x)

Eu sou Maria … Eu sou a Maria Quitéria (2x)

===============

Andava sem rumo a noite

Andava sem rumo de dia (2x)

Minha vida era quase perdida

Mas conheci uma linda pomba gira

Me aconselhando nos momentos de agonia

Maria Quitéria sem você o que eu seria

=================

Maria Quitéria come ponta de Agulha (2x)

Quem mexer com ela, cava a sepultura (2x)

Oração à Maria Quitéria

Maria Quitéria é uma rainha que provê realização na vida das pessoas que a ela recorrem. Ela traz libertação, pois é poderosa, e basta divulgar a oração como agradecimento para conseguir a ajuda dela.

Maria Quitéria, minha poderosa rainha, me ajude a consertar a minha vida agora, preciso da minha independência total financeira, da minha dignidade humana, da harmonia, paz, amor e prosperidade agora em minha vida.

Minha rainha Maria Quitéria, eu sou merecedora, eu tenho certeza, pois sigo no caminho, minha querida amiga, faça justiça, que eu possa me ver livre agora desta situação indigna que eu não mereço.

E que eu obtenha a minha realização de vida agora [faça seu pedido aqui], pois tu és justa, forte, poderosa e sábia, me socorre, pois estou necessitando urgentemente de sua ajuda agora!

Liberta-me, guia-me, orienta-me trabalha para que eu possa me desembaraçar disso tudo e, se houver alguma demanda contra mim, minha rainha, peço que a desmanche totalmente e mande de volta a quem mandou.

Poderosa Maria Quitéria, eu confio em ti no teu poder e justiça! Eu sei que você tem esse poder, por isso confio muito na sua palavra!

Minha rainha poderosa, eu agradeço a tua ajuda preciosa! Obrigado(a), minha rainha Maria Quitéria, vou publicar esta oração em agradecimento por ter certeza de que estou sendo atendida.

E sei que já consegui tudo com sua ajuda, Laroyê Maria Quitéria!

Segunda Historia de Maria Quitéria

Essa pomba gira nasceu em 1624, no Reino de Portugal, em Lisboa. Como toda portuguesa, ela recebeu o primeiro nome de Maria e o segundo nome de Quitéria, em homenagem a santa portuguesa.

Ela foi criada por sua avó materna, pois sua mãe era viúva e enamorou-se do imediato de um navio mercante, seguindo com ele em viagem.

Veja:  Maria Padilha é de Qual Orixá?

Maria veio para o Brasil e acomodou-se em Minas Gerais. Com 19 anos, Maria teve seu primeiro filho na fazenda onde seu esposo trabalhava como capataz.

Maria era uma moça prendada e sabia cuidar da casa e do marido com muito carinho, e isso despertou olhares cobiçosos de outros jagunços da fazenda.

Passaram dois anos de harmonia e paz, até que um dia José chegou em casa e encontrou Maria desacordada nos braços de outro, por uma armação.

Ele não pensou duas vezes, matou-a com 7 tiros e atirou contra seu companheiro, que fugiu porta afora. A criança foi entregue aos cuidados de uma família da fazenda.

José viveu muitos anos infeliz e sem ninguém. Queria muito saber por que Maria fizera aquilo com ele. José foi atrás do farsante para que este contasse a verdade, ou tiraria sua vida ali mesmo.

E este lhe contou que sua mãe não passava bem, então Maria lhe preparou uma garrafada e alertou-o que o remédio causava um forte sono e, por isso devia ser tomado somente à noite.

No dia da tragédia, ele pediu ajuda a Maria novamente, dessa vez dizendo que ele não se sentia bem. Maria fez e serviu um chá aos dois, tomando para acompanhá-lo, mas não percebeu que o jagunço havia acrescentado ao chá o preparado daquela garrafada.

Ela sentiu diferença no gosto, mas não levou em consideração. Quando ela sentiu sonolência, pediu ao jagunço licença, ele saiu e ela foi se deitar.

Ele esperou até que ela dormisse e foi ter com ela… Maria até que começou a acordar, mas ele trancou sua respiração e ela desmaiou.

Então, ele aproveitou para estuprá-la. Foi quando José chegou e ocorreu o fato. José, ao ouvir essa história, ficou desconsolado.

Então, sua Maria era inocente! Então, José levou o jagunço pra fora do armazém e lhe deu três tiros na cabeça.

Depois desse crime, José evadiu-se de Minas Gerais e nunca mais foi visto. Maria, por sua vez, foi recolhida ao plano espiritual e pôde enfim descansar.

Após o tratamento e o refazimento, Maria passou a trabalhar na Linha das Almas, na falange “Maria Quitéria”.

Maria sempre gostou da história de Santa Quitéria, porque assim como a sua, era uma história de dor, desejo e traição.

Esta pomba gira se trata de uma guardiã de fé, e é da mesma banda de Maria Padilha. É uma entidade muito forte, que comanda uma falange muito grande de mulheres.

A pomba gira Maria Navalhada é sua subordinada. Ela acompanha sete Exús e se apresenta sempre, quando bem incorporada, como uma mulher forte e sem rodeios e, ao contrário do que muitos pensam, estas entidades, apesar de serem muito sensuais, não costumam se insinuar a ninguém.

A sensualidade faz parte da sua maneira de viver e é assim que elas se aproximam dos seus filhos de fé!
Para Maria Quitéria, suas oferendas tem que sempre estarem impecáveis.

É uma entidade muito exigente para com seus filhos e filhas, e também com aqueles que requerem sua ajuda.

A força energética de Maria Quitéria tem maior intensidade em trabalhos a serem executados com as Almas, principalmente em Cemitérios e Montes, sendo quase sempre mensageira de Orixás como Iansã, Obá e, às vezes, Ogum.

Caminhos de Maria Quitéria

  • Maria Quitéria das 7 Encruzilhadas
  • Maria Quitéria da Calunga
  • Maria Quitéria das Almas
  • Maria Quitéria da Campina
  • Maria Quitéria do Cruzeiro
  • Maria Quitéria da Figueira
  • Maria Quitéria dos Infernos
  • Maria Quitéria das Sete Catacumbas

Características de Maria Quitéria

  • Atuação: Encruzilhadas, mata, cruzeiros, cemitérios, montes.
  • Amuletos: Navalha, taça, bijuterias, perfumes, batons, toalhas vermelha e preta, rosas vermelhas.
  • Bebida: Champanhes, licores doces.
  • Fuma: Cigarros, cigarrilhas longas, cigarrilhas com piteiras.
  • Vela: Vermelha e preta.
  • Guia: Vermelha, vermelha e preta.

Imagem de Maria Quitéria

Maria Quitéria é representada por uma mulher bonita e elegante, de cabelos pretos compridos e vestimentas vermelhas, que podem ser um vestido longo chique ou capa e saia.

Ela também veste preto e costuma carregar nas mãos e na cintura um punhal. Em algumas imagens, ela também usa chapéu e há versões dela trajando roxo e rosa preta no cabelo.

É representada com sensualidade, mas também denotando coragem e força. Suas imagens costumam ser as mais belas, ás vezes segurando uma taça e demonstrando seu lado festeira.

É comum também vê-la representada seminua e associada à caveiras.

Frases de Maria Quitéria

  • Não há mal que pode derrubar um coração cheio de fé! (Maria Quitéria)
  • Ter uma Quitéria no terreiro é a certeza de demanda vencida. (Frase de Filho de Axé)
  • Continue firme, mesmo quando o cansaço bater. Continue com fé, mesmo quando não tiver mais esperança. Continue sonhando, mesmo que a realidade seja tão dura. Continue lutando. (Guardiã Maria Quitéria)
  • Quem tem a magia, não necessita de truques. (Maria Quitéria)
  • Pomba gira da cara amarrada e do abraço cheio de afago. Pomba gira do ponto virado, da altivez e da força de mulher. (Pomba gira Maria Quitéria)
  • O erro do esperto é achar que todos são otários. (Guardiã Maria Quitéria)
  • Se alguém está tentando te derrubar, é porque de pé você faz um grande estrago. (Guardiã Maria Quitéria)
  • Quando eu tive medo, Maria Quitéria andou na minha frente. (Frase de Filho de Axé)
  • Muitas pessoas não querem te ver chegar ao topo, mas elas verão mesmo assim. (Pomba gira Maria Quitéria)
  • Quem não é um bom ímpar, jamais será um bom par. (Maria Quitéria)
  • Quem anda sob a saia de Maria Quitéria não perde o sono. (Guardiã Maria Quitéria)
  • Maria Quitéria tava sentada na porteira da calunga, quem tem inimigo não dorme, fica vigiando. (Frase de Filho de Axé)
  • Maria Quitéria, proteja minhas costas, porque o resto, se bater de frente, eu mesma(o) derrubo na mão. (Frase de Filho de Axé)
  • No coração, levo meu cavalo. E na ponta do meu punhal, levo os seus inimigos. (Maria Quitéria)
  • Ela manda e desmanda. Não tem medo de demanda. Em Maria Quitéria, você pode confiar. (Frase de Filho de Axé)
  • Ela é linda, é linda demais. Maria Quitéria, mulher de satanás. (Frase de Filho de Axé)
  • Quando você se perder e quiser direção, chama Maria Quitéria, mulher de faca na mão. (Frase de Filho de Axé)
  • Meu axé é leve e doce pra quem souber usar, é amargo e salgado pra quem não souber amar. (Maria Quitéria)

Livros Recomendados:


Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Livros de Maria Padilha:

Élida Alexandre

Cartomante, taróloga, terapeuta holística e empreendedora de livros de auto ajuda espiritual, religião e esoterismo.

Site: elidaalexandre.com.br

YouTube: youtube.com/@ElidaAlexandre

Instagram: instagram.com/elidaalexandre9

TikTok: www.tiktok.com/@elidaalexandre9